WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia









julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
videos


:: ‘Geral’

ILHÉUS: Reportagem da TV Santa Cruz mostra o aniversário de 3 anos de esgoto

Os moradores da rua de São Miguel, bairro Iguape, zona Norte de Ilhéus, comemoraram neste domingo, o aniversário de 3 anos de um esgoto a céu aberto , ganhou repercussão em toda cidade, e hoje a TV SANTA CRUZ esteve na localidade registrando toda situação.

O aniversario foi uma forma de protesto para chamar atenção do poder publico que há 3 anos lutam em busca de solução. O protesto contou com um bolo de 3 metros desfile de escola de samba, roda de capoeira e faixas .O esgoto tem prejudicado a todos , principalmente as crianças, que são muitas na localidade.

 

INSTAGRAM, FACEBOOK e WHATSAPP têm instabilidade e problema para carregar fotos

Instagram apresenta erro ao postar Stories ou foto no feed, segundo relatos de brasileiros nesta quarta-feira (3). A rede social não permite fazer posts na ferramenta de Stories nem pelo feed. O Facebook também enfrenta instabilidade hoje, e exibe erro ao carregar imagens na linha do tempo ou em perfis. Além destes, o WhatsApp opera com bugs em fotos e áudios. O problema afeta os apps para celular AndroidiPhone (iOS), além da versão web.

WhatsApp está com instabilidade e não baixa áudio na manhã desta quarta-feira (3). O aplicativo para Android e iPhone (iOS), além da versão web do mensageiro, também apresenta falha no download de mídias e imagens. Segundo relatos de usuários no Twitter, o app parou de funcionar por volta de 10h40 de hoje. O site DownDetector, que monitora o funcionamento de serviços online, mostra que o problema atinge também principalmente o Brasil, Argentina, Alemanha e outros países da Europa.

Instagram exibe mensagem de erro ao postar Stories — Foto: Reprodução/Instagram

Instagram exibe mensagem de erro ao postar Stories — Foto: Reprodução/Instagram

Instagram exibe mensagem de erro ao postar Stories — Foto: Reprodução/Instagram

Segundo reclamações no Twitter, o Instagram está instável, e não permite postar fotos no feed ou no Stories. O Downdetector registrou pico de mais de 500 notificações de erro a partir das 10h, e regiões do Brasil, Estados Unidos e Europa enfrentam problemas. Mensagens de erro de conexão na rede social acusam que é impossível subir imagens no momento.

Instagram não carrega foto; problema atinge a rede social  — Foto: Reprodução/DowndetectorInstagram não carrega foto; problema atinge a rede social  — Foto: Reprodução/Downdetector

Instagram não carrega foto; problema atinge a rede social — Foto: Reprodução/Downdetector

Já o Facebook também passa por instabilidade e está com problemas para exibir imagens na linha do tempo e em perfis de usuários. Espaços em branco aparecem no lugar de fotos de capas e publicações novas, por exemplo. A rede social chega a mais de 500 reclamações a partir de 10h30, no Downdetector.

Fotos não carregam no Facebook — Foto: Reprodução/TechTudoFotos não carregam no Facebook — Foto: Reprodução/TechTudo

techtudo

Viva Ilhéus: Confira como foi o primeiro dia do evento, veja o vídeo!

A alegria tomou conta dos ilheenses que estiverem presentes ontem (27) no “Viva Ilhéus”, o evento teve sua abertura oficialmente na noite de ontem com um dos maiores nome do axé music, Bell Marques, que contagiou o publico com toda sua irreverencia, e também com as banda; pipoco do trovão, xote apimentado, boteco das amigas e para finalizar a noite, a nova sensação da musica sertaneja, Lauana Prado.

“A proposta do “VIVA ILHÉUS” é o resgate das tradições juninas e principalmente apresentar à Bahia um novo atrativo turístico em plena época de festejos juninos, mas sem concorrência direta com o São João, já que Ilhéus integra o Mapa do Turismo Brasileiro pelo Ministério do Turismo”, disse o secretario de turismo, Fabio Jr.

 

 

 

 

Ilhéus: ASSOCIAÇÃO É FORMADA POR MULHERES NO BANCO DA VITÓRIA

Foto: língua solta

Foto: Língua solta

Associação de Mulheres do Banco da Vitória se reuniu nesta quarta feira dia 26/06/2019 às  15 horas  na   Escola Municipal Herval Soledade, para uma assembleia geral onde aconteceu a escolha de membros e  as  assinaturas da  Ata de Fundação, Eleição e Formação da Diretoria.

A Associação  em formação terá  como objetivo,  fortalecer suas atividades sociais e culturais no Bairro Banco da Vitória e adjacências.

Maria Rita Santos Teixeira conhecida popularmente  de Mary – Presidente da AMBDV. Falou sobre a importância da associação  de Mulheres  do  Banco  da Vitória, onde unidas irão  lutar pelo bem estar da população  e com clamor  o apoio de todas as mulheres presentes.

 

A Ata foi lida pelo o colaborador Nilton Ramos, teve como instrutor estatutária Jorge Luiz, na oportunidade falou para todas da diretoria e associadas presentes a grande importância de lutarem pelo os seus objetivos e cumprirem o regimento da entidade.

Por: linguasolta

LGBT: Ativistas em Botsuana celebram descriminalização da homossexualidade

Faz duas semanas que ser gay ou lésbica não é mais crime em Botsuana.

No dia 11 de junho, o país tornou-se o segundo no continente africano a descriminalizar, neste ano, a homossexualidade (o vizinho ao norte, Angola, foi o primeiro).

Trechos dos artigos 164, 165 e 167 do Código Penal botsuanês foram eliminados — e, junto com eles, a pena de até 7 anos de prisão prevista no texto.

“Essa foi uma vitória tão grande para todos nós da comunidade LGBT”, diz Carmelo Yoko, artista e fotógrafa que mora em Tonota, uma pequena vila perto de Francistown, a segunda maior cidade de Botsuana.

Desde então, diz Carmelo, tudo está mais ou menos como sempre foi: tranquilo. O país, de 2,25 milhões de habitantes, tem uma cultura pacífica, cenário diferente da vizinha África do Sul, dizem ativistas.

Botsuana descriminalizou a homossexualidade em 11 de junho. — Foto: Rodrigo Sanches/G1Botsuana descriminalizou a homossexualidade em 11 de junho. — Foto: Rodrigo Sanches/G1

Botsuana descriminalizou a homossexualidade em 11 de junho. — Foto: Rodrigo Sanches/G1

Uma das maiores mudanças é que a descriminalização deve vir como uma forte mensagem à comunidade de Botsuana de que gays e lésbicas não podem ser ridicularizados ou perseguidos: é nisso que acredita Caine Youngman, ativista de direitos humanos em Gaborone, capital de Botsuana.

Acessar serviços de saúde também deve ficar mais fácil para a população LGBT: em alguns casos, relata Youngman, profissionais abriam escrituras da Bíblia, ridicularizavam ou tinham medo de oferecer ajuda, por temerem perseguição por auxiliar essas pessoas a irem contra a lei.

Além de ter o acesso a esses serviços dificultado, o ativista explica que muitos LGBTs sofriam violência doméstica em silêncio ou aceitavam chantagens porque não podiam ir à polícia, já que estar em relações com uma pessoa do mesmo sexo era crime. Outros faltavam às aulas ou deixavam a escola por causa de bullying, tornavam-se um fardo para a família e acabavam sem ter para onde ir, voltando-se à prostituição.

O ativista pelos direitos humanos em Botsuana Caine Youngman — Foto: Arquivo pessoalO ativista pelos direitos humanos em Botsuana Caine Youngman — Foto: Arquivo pessoal

O ativista pelos direitos humanos em Botsuana Caine Youngman — Foto: Arquivo pessoal

“[A mudança] também é um recado de que, se você acredita que está certo, pode ir ao tribunal, e a justiça vai prevalecer. [A decisão] nos dá fé e esperança no sistema judicial de Botsuana”, diz Youngman, que é gay e trabalha na ONG Legabibo, voltada para os direitos de lésbicas, gays e bissexuais de Botsuana e que só foi legalizada definitivamente em 2016.

Herança colonial

Os artigos do código penal de Botsuana que criminalizavam a homossexualidade são uma herança colonial. Entre 1885 e 1966, o país foi protetorado britânico e se chamava Bechuanaland. A própria Inglaterra já havia estabelecido, em 1533, que relações sexuais entre homens eram passíveis de morte.

O texto botsuanês não bania, explicitamente, relações entre pessoas do mesmo sexo, mas, sim, “ter conhecimento carnal de qualquer pessoa contra a ordem da natureza” ou tentar fazê-lo. Também proibia que “qualquer pessoa, em público ou privado, cometa qualquer ato de indecência com outra pessoa”. A palavra “privado” foi removida da legislação.

Apesar de não citar a homossexualidade, a norma só era aplicada, na prática, a casais gays, diz Youngman — Foto: Arquivo pessoalApesar de não citar a homossexualidade, a norma só era aplicada, na prática, a casais gays, diz Youngman — Foto: Arquivo pessoal

Apesar de não citar a homossexualidade, a norma só era aplicada, na prática, a casais gays, diz Youngman — Foto: Arquivo pessoal

Apesar de não citar a homossexualidade, a norma só era aplicada, na prática, a casais gays, diz Youngman. Segundo o ativista, a última condenação pela lei foi em 2016, mas o homem que foi preso ficou na cadeia por apenas alguns meses. Ele foi contemplado com um perdão governamental distribuído a várias pessoas quando o país completou 50 anos de independência.

Mesmo assim, ficou com o registro na ficha. Ele não fala sobre o caso, segundo Youngman. E não é o único.

“As pessoas têm medo do tribunal, da mídia. Elas têm medo que, se esses casos se tornarem grandes, não consigam achar um emprego depois. Algumas delas não são assumidas. Elas optam por cumprir a pena [de até 7 anos]”, explica.

Em 2010, o país aprovou uma emenda às leis trabalhistas que proibiu demissões por causa de orientação sexual ou estado de saúde, inclusive quanto a ter ou não o vírus HIV.

Juiz contra a marginalização de minorias

Pessoas assistem ao julgamento da decisão que descriminalizou a homossexualidade em Botsuana no dia 11 de junho — Foto: Associated PressPessoas assistem ao julgamento da decisão que descriminalizou a homossexualidade em Botsuana no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

Pessoas assistem ao julgamento da decisão que descriminalizou a homossexualidade em Botsuana no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

No dia 11, o juiz Michael Leburu, um dos que assinaram a decisão, declarou que “a dignidade humana é prejudicada quando grupos minoritários são marginalizados”.

Ele e outros dois colegas afirmaram, na sentença, que criminalizar relações sexuais entre adultos do mesmo sexo “perpetua o estigma e a vergonha contra homossexuais e os torna reclusos e isolados. As minorias, que são vistas pela maioria como desviantes ou párias, não devem ser excluídas ou ostracizadas. A discriminação não tem lugar neste mundo”.

A sentença foi comemorada no Twitter sob a hashtag #revoguem164, uma referência a um dos artigos que foram modificados. Youngman espera que a decisão contribua para reverter outras no continente africano, inclusive uma recente no Quênia que foi no sentido contrário e manteve a homossexualidade como crime.

Em Botsuana, mesmo com a mudança, o clima ainda é de cautela, dizem os ativistas.

Laone van Vuuren é formado em relações públicas e administra um serviço de bufê em Gaborone, Botsuana — Foto: Arquivo pessoalLaone van Vuuren é formado em relações públicas e administra um serviço de bufê em Gaborone, Botsuana — Foto: Arquivo pessoal

Laone van Vuuren é formado em relações públicas e administra um serviço de bufê em Gaborone, Botsuana — Foto: Arquivo pessoal

“Eu não diria que as pessoas têm medo de sofrer crimes de ódio, mas estamos cautelosos”, afirma Laone van Vuuren, que é formado em relações públicas, é gay e administra um serviço de bufê em Gaborone.

“Nós somos, de forma geral, uma sociedade conservadora, então nem casais hétero demonstram afeto em público com frequência. Não é comum, em Botsuana, ver casais se beijando na rua, sejam LGBT ou não”, afirma.

“Eu acho que o sentimento geral é de euforia e triunfo para a comunidade LGBT, assim como de apoio para as pessoas não-LGBT em Botsuana que acreditam na proteção de direitos humanos em todo o país”, diz Laone.

Ativistas pelos direitos LGBT comemoram decisão da Suprema Corte em Gaborone, Botsuana, no dia 11 de junho — Foto: Associated PressAtivistas pelos direitos LGBT comemoram decisão da Suprema Corte em Gaborone, Botsuana, no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

Ativistas pelos direitos LGBT comemoram decisão da Suprema Corte em Gaborone, Botsuana, no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

Mas nem todos estão satisfeitos com a decisão. Por ser um país cristão, explica o ativista, há reações contrárias. Segundo levantamento do Pew Research Center, de 2010, 64% da população do país é protestante, e 22%, católica.

Youngman, que cresceu em uma família católica, também acredita que a religião é um dos fatores que contribuem para o preconceito contra a população LGBT em Botsuana. O ativista da Legabibo relata que foi a diversas igrejas para tentar harmonizar sexualidade e fé.

“As igrejas tentavam me fazer mudar, elas fazem você acreditar que isso é possível. Mas, à medida que eu crescia, esses sentimentos ficaram mais fortes, e eu decidi me aceitar”.

Foi a partir dali que ele começou a se dedicar a defender os direitos humanos no país. “Eu não queria que outras pessoas passassem pelo que eu passei”, diz.

A família, por outro lado, aceitou bem saber que ele é gay. Quando veio a público com sua sexualidade, relata Youngman, ele era um dos poucos homens abertamente gays no país, e vários LGBTs o procuravam em busca de ajuda. O ativista acabava abrigando pessoas na casa onde morava, na época, com a mãe.

Pessoas comemoram mudança na lei de Botsuana que descriminalizou a homossexualidade no país no dia 11 de junho — Foto: Associated PressPessoas comemoram mudança na lei de Botsuana que descriminalizou a homossexualidade no país no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

Pessoas comemoram mudança na lei de Botsuana que descriminalizou a homossexualidade no país no dia 11 de junho — Foto: Associated Press

Entre as dificuldades enfrentadas pela população LGBT do país está, por exemplo, a mudança de gênero em documentos oficiais de pessoas trans, o que pode dificultar oportunidades de emprego ou que elas viajem para fora do país.

Em uma decisão histórica do tipo, de outubro de 2017, a Suprema Corte de Botsuana permitiu a um homem trans botsuanês mudar de gênero nos documentos, depois de uma batalha judicial que durou 10 anos, segundo a agência de notícias Reuters.

Já os atos de violência costumam acontecer com mais frequência em lugares isolados, relata Youngman. “As pessoas não são de criar confronto, elas evitam dizer coisas na sua cara”, diz.

Apesar de serem incomuns, segundo os ativistas, incidentes em que há violência física também ocorrem. Em novembro do ano passado, uma mulher trans foi agredida na porta de uma boate em Gaborone, em público, e a ação foi filmada e postada em redes sociais.

Carmelo Yoko é fotógrafa e artista em uma pequena vila perto de Francistown, segunda maior cidade de Botsuana — Foto: Arquivo pessoal/SetabaneCarmelo Yoko é fotógrafa e artista em uma pequena vila perto de Francistown, segunda maior cidade de Botsuana — Foto: Arquivo pessoal/Setabane

Carmelo Yoko é fotógrafa e artista em uma pequena vila perto de Francistown, segunda maior cidade de Botsuana — Foto: Arquivo pessoal/Setabane

“Em Botsuana, a violência tende a ser mais verbal do que física, como no Facebook ou no rádio”, diz Carmelo Yoko, que é lésbica. “O estupro corretivo, por exemplo, acontece aqui às vezes também, mas não é tão comum quanto na África do Sul”, diz a artista.

O termo “estupro corretivo” é usado quando o crime é cometido com o objetivo de controlar o comportamento social ou sexual da vítima.

Para Carmelo, ainda é cedo para dizer se a situação no país melhorou ou piorou. “O que posso dizer é que, até agora, não há muita diferença. Somos, agora… bom, acho que não somos ilegais — não somos mais criminosos. Mas isso é só um passo na direção certa”, ressalva.

Mesmo com a descriminalização em Botsuana, a homossexualidade continua sendo crime em 32 dos 54 países da África. Em 4 deles — Mauritânia, norte da NigériaSomália Sudão — é passível de morte, segundo levantamento da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Trans e Intersexo.

Ser gay ainda é crime em 32 dos 54 países da África, mesmo após a descriminalização em Botsuana — Foto: Juliane Monteiro/G1Ser gay ainda é crime em 32 dos 54 países da África, mesmo após a descriminalização em Botsuana — Foto: Juliane Monteiro/G1

Ser gay ainda é crime em 32 dos 54 países da África, mesmo após a descriminalização em Botsuana — Foto: Juliane Monteiro/G1

No Egito, apesar de a homossexualidade não estar prevista em lei como crime, é considerada assim “de fato”.

No continente africano, o único país que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo e lhes dá garantias constitucionais é a África do Sul, onde a legislação foi aprovada em 2006.

FONTE: G1

Bandidos põem fogo em carro com repórter da TV Bahia no porta-malas

O jornalista Jony Torres foi trancado na mala do próprio carro durante uma tentativa de assalto no início da noite desta segunda-feira (17) na zona rural da cidade de Esplanada, região nordeste do estado. Os ladrões ainda atearam fogo ao veículo, mas Jony conseguiu escapar antes das chamas consumirem seu veículo, um modelo Nissan Tiida de quatro portas. O carro teve perda total. O jornalista da TV Bahia tem uma fazenda com o sogro no município.

O crime foi cometido por dois homens que estavam numa moto. Segundo o jornalista, um deles aparentava ser adolescente, mas foi o mais velho que comandou toda a ação.  O jornalista conta que o assalto durou, aproximadamente, 30 minutos. Ele ainda chegou a ser reconhecido pelo mais jovem, mas foi confundido com um policial.

Ele achou que me reconheceu por ser policial e começou a dizer: ‘nós é bonde do maluco, porra, nós vai lhe matar. Cadê o celular, porra? Eu dizia pra ele: velho, eu sou jornalista, não sou polícia. Tenho dois filhos para criar. Um deles ainda disse: ‘eu também não tive pai para me criar’“, informou Jony.

Para ele, foi mais uma violência psicológica do que física. Segundo ele, os dois assaltantes aparentavam estarem embriagados e drogados. “Eles só queriam o celular, na hora do nervoso, nem lembrei que tinha deixado na fazenda e falei que devia ter caído no carro”, conta. O jornalista entregou a carteira com R$ 400, mas mesmo assim os ladrões ficaram irritados.

(Foto:Acervo Pessoal)

Jony contou ao CORREIO que precisou ir resolver um problema na fazenda de última hora e saiu, por volta das 18h30, para fazer um lanche em um posto de gasolina na BR-101. Para chegar até o local, trafegou por uma estrada de terra de cerca de 3 km. Quando estava voltando, precisou diminuir a velocidade por conta de uma linha férrea que tem na região e foi nesse momento que o jornalista foi abordado pelos assaltantes.

Eles entraram no carro e me fizeram dirigir com uma arma apontada para a minha cabeça até uma plantação de eucalipto. Lá, me colocaram deitado no chão e começaram a exigir o celular. Mas eu estava tão nervoso, que nem me dei conta de que tinha esquecido na fazenda e disse que devia estar caído no chão do carro, como não acharam, decidiram me matar. Me botaram no porta-malas do carro e disseram: ‘vou lhe matar porra´. Fiquei achando que me dariam um tiro, mas ele ainda disse: ‘não vou gastar uma bala com esse filho da puta’“.

Só quando ouviu o barulho da moto dando partida é que o jornalista teve coragem de tentar sair do carro. “Meu carro era daqueles que tem uma cordinha para baixar o banco, eu consegui baixar e sair pelas portas do fundo. Só então vi que a parte da frente do carro já estava toda em chamas. Jogaram cachaça no carro e tocaram fogo”, relembra.

O jornalista não soube estimar quanto tempo ficou preso no porta-malas. Mas quando achou que os bandidos já tinham saído do local, conseguiu sair do carro. Primeiro ele se escondeu no mato e depois começou a correr, pra sair dali. “Na estrada de chão me deram socorro e acionaram a Polícia Militar, que foi no local e encontrou meus documentos jogados no chão”, conta.

(Foto: Acervo Pessoal)

Quase 24 horas depois do assalto, o jornalista conta que até agora está praticamente sem dormir. “Só pensava nos meus filhos”, diz. Ele já havia sofrido um assalto em Salvador, mas nada que fizesse com que ele temesse tanto pela sua vida. “Foi terrível. Uma maldade sem sentido. Queriam me matar só por causa de um celular”, comentou Jony, destacando que os bandidos estavam visivelmente transtornados.

Ele conta que ainda se sente como se estivesse “dentro de um pesadelo”. “A vontade que da é de ir dormir pra acordar depois e descobrir que era apenas um sonho ruim”, finaliza.

O veículo está no seguro. Na manhã desta terça-feira (18), policiais começaram a busca pelos bandidos. Em nota, a Polícia Civil informou que o roubo é investigado pela Delegacia de Esplanada, “que realiza incursões para identificar e prender os autores”. O CORREIO vem tentado falar com o delegado da região, mas ninguém atendeu às inúmeras ligações realizadas à unidade.

Veja vídeo gravado quando o carro ainda pegava fogo (Imagens do Acajutiba News)

 

Ilhéus: Prefeito nomeou novo secretário de Cultura e turismo

Foto: Léo Novais

Foto: Léo Novais

Após ficar dois meses sem secretario de turismo, prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, nomeou por meio de decretos publicados na quarta-feira, dia 5, dois novos secretários e um deles foi o Fabio Wanderley Manzi Cavalcante Junior, para a nova secretaria de Cultura e Turismo (que substitui a extinta secretaria de cultura, comandada pelo escritor e pedagogo, Pawlo Cidade).

Fábio Júnior é empresário na cidade, dona da Pousada Costa do Cacau e princesinha do sul, além do centro de estudos costa do cacau e cabana costa do cacau Beach.

ILHÉUS: COMÉRCIO FUNCIONA EM HORÁRIOS ESPECAIS NO MÊS DE JUNHO

Sindicato do Comércio Atacadista e Varejista de Ilhéus (Sicomércio) divulgou os horários especiais do funcionamneto do comércio de Ilhéus neste mês de junho. Confira:

DIA DOS NAMORADOS
Dias 10,11,12: 9h às 20h;
CORPUS CHRISTI
Dia 20: comércio não funciona (feriado);
SÃO JOÃO
Dia 24: comércio não funciona (feriado municipal);
DIA DA CIDADE
Dia 28: comércio não funciona (feriado municipal).
O tabuleiro

PSD de Ilhéus realiza eleição do diretório e executiva municipais neste sábado (25)

O Partido Social Democrata (PSD) realiza convenção em Ilhéus, neste sábado (25), das 8 às 12 horas, no auditório do Hotel Barravento, situado à Rua Lindolfo Collor, nº 240, bairro Malhado.

No encontro partidário, serão eleitos oito membros e três suplentes do Diretório Municipal, delegados e respectivos suplentes para a convenção estadual e a comissão executiva do partido na cidade. O atual presidente do PSD de Ilhéus é o prefeito Mário Alexandre.

O PSD Bahia tem, hoje, 89 prefeitos e 592 vereadores. É a legenda com a maior representação feminina no Estado com três deputadas estaduais, 13 prefeitas e 75 vereadoras. A força do PSD Bahia se repete na Capital Federal. Além dos nove deputados estaduais, o partido conta com uma bancada forte e coesa, em Brasília. São cinco deputados federais e dois senadores. O partido também ocupa a presidência da UPB (prefeito Eures Ribeiro).

SOL E MAR-ILHÉUS: TOMA POSSE NOVA DIRETORIA DO CONDOMÍNIO

Na noite de terça-feira (7) aconteceu a posse da nova diretoria de sindicância do condomínio Sol e MAR 2, tendo Bira Borges como sindico geral e Anderson Magalhães como vice, e também foi uma das pautas a prestação de contas do ano de 2018.

Confira a ata:

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL SOL E MAR II, REALIZADA EM 07 DE MAIO DE 2019.
Aos 07 sete dias do mês de maio do ano de dois mil e dezenove, às dezenove horas,
em segunda e última chamada, reuniram-se em ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA,
no Salão de Festas da quadra ̈D ̈ Condomínio Residencial Sol e Mar II localizado na
BR Ilhéus/Buerarema, os Srs. condôminos e/ou representantes das unidades
autônomas, cujas assinaturas constam da Lista de Presenças, todos convocados
através do Edital de Convocação, constando os seguintes assuntos na ORDEM DO
DIA, conforme convocação do Síndico: 1. PRESTAÇÃO DE CONTAS Do EXERCÍCIO
DE 2018; 2. POSSE DA SINDICÂNCIA E DO CONSELHO FISCAL PARA O BIENIO
19/21. Sendo escolhido para ocupar a Presidência da mesa, o Sr. Sidnei Alves
Guerra morador da quadra ̈C ̈ bloco 01 A P . 1 0 4 , que designou como secretário
o condômino Sr. DIEGO quadra ̈E ̈ bloco 07 AP. 104. Integrando a mesa o sindico
Sr. UBIRAJARA BORGES DOS SANTOS quadra ̈E ̈ bloco 10 AP 401 e o Sr.
ANDERSON ANDRÉ LIMA MAGALHÃES, quadra D, bloco 18 apto 301. Dando
sequência, o Presidente passou deliberar sobre o primeiro item da pauta, prestação
de contas do exercício de 2018, que após apresentada foi aprovada pela unanimidade
pelos presentes sem ressalva e sem haver qualquer parecer do conselho fiscal.
3. PRESTAÇÃO DE CONTAS 2018 – Foi concedida a palavra ao sindico, Sr. Ubirajara
Borges dos Santos o qual demonstrou as receitas do ano de 2018, totalizando R$: 8.300,00
(oito mil e trezentos reais) e despesas totalizando R$: 8.813,96 (oito mil, oitocentos e treze
reais e noventa e seis centavos) e, posteriormente teceu algumas explicações quanto a
analises das contas pelos condôminos. Após encerrados todos os inscritos e respondidos
todos os questionamentos, o presidente da mesa, Sr. Sidnei Alves Guerra empossa o
sindico geral reeleito Ubirajara Borges dos Santos e sua nova diretoria, o Presidente
Conselho fiscal e os demais conselheiros conforme abaixo assinado.
4. EMPOSSADOS PARA O BIENIO 19/21.

Sindico geral Ubirajara Borges

Subsíndico geral Anderson Magalhães
Secretaria Cris Amaral
Presidente do conselho fiscal Diego Dalton
Conselheiro Anderson Moreira
Conselheiro Daniel Oliveira
Conselheiro Kleber Mendes
Todos os assuntos foram relatados em ata, a qual foi lavrada e assinada por
mim, Diego Danton de Freitas Bastos, pelo síndico sr. Ubirajara Borges dos
Santos e por todos condôminos constantes que assinaram a lista de
presença.









web