WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia







setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
videos


:: ‘_destaque4’

ILHÉUS: UPA da Conquista auxilia reestruturação do atendimento da rede municipal de saúde

O secretário de Saúde de Ilhéus, Geraldo Magela se reuniu na manhã desta quinta-feira (5), no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), com a coordenadora da UPA24h da Conquista, Shirlen Carvalho, enfermeiros, técnicos administrativos e apoiadores em saúde do município, no intuito de discutir processos do trabalho, produtividade, fluxo de serviços e organização do serviço de urgência e emergência, com triagem eficaz dos pacientes.

No encontro, destaque para a importância do atendimento de qualidade prestado 24 horas pela UPA, que completa um ano de funcionamento no próximo dia 15 de setembro e já contabiliza mais de 2.920 consultas e atendimentos nos âmbitos de urgência, emergência e ambulatorial. A unidade realizou aproximadamente nove mil procedimentos, entre aferição de pressão arterial, sutura, curativo, troca de sonda, medição de glicemia e outros.

“A implantação da UPA somou pontos para a rede pública municipal de saúde. Os serviços prestados têm mudado a realidade dos usuários do SUS, promovendo melhoria à assistência à saúde e aprimorando o gerenciamento do atendimento ofertado ao paciente”, ressaltou Shirlen Carvalho.

“A gestão atual já construiu e reformou doze unidades de saúde e entregou a UPA da Conquista. Além disso, a instalação do Hospital Costa do Cacau auxilia na cobertura dos casos de alta complexidade, absorvendo boa parte da demanda no município. Por meio desses investimentos é possível visualizar a ampliação e o fortalecimento da rede”, pontuou o secretário Magela.

A equipe multiprofissional que atua na UPA24h é composta por 70 pessoas, entre médicos, enfermeiros, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, setor administrativo, entre outros.

ITABUNA: População sofre com crise na Saúde; Dois hospitais fechados e três sob ameaça de encerrar atividades nos próximos dias

POR: A TARDE

Dois hospitais fechados e três sob ameaça de encerrar atividades nos próximos dias. Unidades Básicas de Saúde que sofrem com falta de pessoal e de insumo, além de uma UPA e um hospital municipal que convivem com superlotação. Esse é o cenário da saúde pública em Itabuna (438 km da capital, no sul do estado), que já teve cinco secretários em dois anos e meio de gestão. Hoje, o município possui um titular interino na pasta, Geraldo Pedrassoli, que acumula a função junto com a diretoria financeira.

A crise estourou após a prefeitura  encerrar o contrato com o Hospital Infantil e Centro Médico Pediátrico de Itabuna (Cemepi), da iniciativa privada, e não renovar o convênio com o Hospital São Lucas, unidade filantrópica gerida pela Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, em 2018. Ambos acabaram fechando as portas.

Aumento na demanda

O fechamento das duas unidades causou um aumento exponencial da demanda nos outros hospitais filantrópicos da Santa Casa, o Calixto Midlej Filho e o Manoel Novais, e no Hospital Maternidade Ester Gomes, da Fundação Fernando Gomes, organização filantrópica criada pelo atual prefeito, Fernando Gomes (sem partido).

Com o aumento da demanda, os hospitais filantrópicos cobraram da Secretaria de Saúde um acréscimo no valor do repasse. A primeira cobrança aconteceu em maio deste ano, quando venceu o convênio do hospital Manoel Novaes. Sem condição para fazer um repasse de R$ 1,5 milhão a mais, a Secretaria de Saúde fez um acordo com a Santa Casa para encerrar o atendimento de portas abertas.

Hoje, a Santa Casa vive com endividamento pelo subfinanciamento da tabela SUS”André Wermann, diretor da Santa Casa

“Optou-se pelo fim da demanda aberta e adesão a uma demanda regulada. Essa unidade recebia 92% dos pacientes via SUS, um total de 260 pessoas por dia. Essa emergência nos custava R$ 650 mil por mês e nós tínhamos um repasse de 68 mil para ela”, revelou André Wermann, diretor administrativo da Santa Casa de Itabuna.

O contrato do município  com os hospitais da Santa Casa encerrou-se  dia 31 de julho. O atual cenário é de incerteza. Os funcionários das unidades convivem com atrasos no salário e os pacientes com a falta de medicamentos e interrupção de alguns atendimentos.

Wermann reclama do repasse de 1.2 da tabela SUS (unidade de referência da ministério) para a Santa Casa, e afirma que o caminho para resolver a crise é um financiamento tripartite, como estabelece a lei do  SUS.

“Essa tabela precisa ser custeada pela União, Estado e município. Não estamos pedindo nada para locupletar ninguém. Gastamos o resultado dos prestadores particulares com o SUS em nossas unidades. Estamos endividados e estruturando linhas bancárias para conseguir fôlego e não encerrar as atividades, pois R$ 68 mil/mês não arcam com uma equipe trabalhando 24 horas em uma emergência. Não dá para trabalhar com 1.2 da tabela SUS”, salientou o diretor.

É duro sair de Ipiaú para fazer quimioterapia e não ter remédio. O Calixto precisa de atenção”Samuel Correia, aposentado

O aposentado Samuel Correia, 73, saiu de Ipiaú – a cerca de 120 km de Itabuna – na última quarta-feira para fazer o tratamento de um câncer no hospital Calixto Midlej Filho, referência em oncologia na região, mas foi informado de que não poderia realizar o procedimento, por falta de um medicamento.

“Saí quatro horas da manhã de Ipiaú para chegar aqui e não ser atendido. A situação do hospital está complicada, tem boato de que há médicos que estão sem receber e que planejam sair, tenho receio de não  terminar meu tratamento”, lamentou.

Pedidos do gestor

A situação do Hospital Maternidade Ester Gomes é ainda mais complicada. O prazo para renovação do contrato  acabou no dia 29 de julho, sem  atualização.

Um ofício enviado pelo secretário interino de saúde, Geraldo Pedrassoli, última sexta-feira, pedia que o hospital não encerrasse as atividades que o município se comprometia a pagar os serviços de pediatria e obstetrícia. Até o fechamento desta edição, a unidade seguia atendendo.

A maternidade possui  estrutura para baixa complexidade e não dispõe de equipamentos auxiliares no  diagnóstico, como raio-x, segundo informou a auxiliar de produção Larissa Souza, que passou por uma situação delicada com a filha de 2 anos no local. A menina foi diagnóstica com pneumonia  e regulada para o Hospital Manoel Novaes. Ao chegar lá, o médico de plantão não aceitou a criança, pois precisava de um raio-x anexado ao relatório. “Eu tive que sair com minha filha doente nos braços até uma clínica particular, onde paguei 60 reais para fazer a radiografia e conseguir a internação. Isso é um absurdo, uma humilhação”, desabafou.

A dona de casa Ruth Rodrigues foi atendida na Maternidade Ester Gomes, que não comporta a elevada demanda e fica situada em um local distante da cidade. Ela afirmou que “depois que ocorreu o fechamento do Cemepi e do Manoel Novais a saúde do município virou um completo caos”.

EM MEIO AO CAOS, PREFEITO CULPA GESTÕES PASSADAS

O prefeito Fernando Gomes concedeu uma entrevista coletiva última quarta-feira, 28, e acusou gestões anteriores, repasses insuficientes do SUS e  prometeu usar a UPA como emergência pediátrica e obstétrica, caso ocorra o fechamento da maternidade que leva o nome dele. “Ser prefeito hoje é difícil com os recursos que temos.  Administrar uma falência por incompetência do passado é complicado. Vou fazer uma auditoria para apurar tudo, quero ver se o dinheiro está sendo gasto com medicamentos, se tem gente recebendo sem trabalhar”, afirmou Gomes.

O secretário interino da área, Geraldo Pedrassoli, disse que as  filantrópicas estão “querendo um valor muito alto, e que a secretaria não consegue repassar”. Ele revelou que deixará a pasta por não haver condições técnicas de continuar na função.

O vereador Jaime Araújo (PCdoB), entrou com uma representação no Ministério Público (MP-BA), pedindo que a prefeitura restabeleça a demanda aberta no Hospital Manoel Novaes e criticou a fala do prefeito: “O povo de Itabuna sofre com essa má gestão, principalmente quem faz tratamento contínuo. A saúde na cidade está um caos por causa da redução da oferta, e agora ele fala de auditoria, como ele é o prefeito e não sabe como está a pasta?”.

A crise afeta também as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Falta de pessoal, médicos, insumos e medicamentos prejudicam o funcionamento.

O MP entrou com  ação pedindo que a prefeitura restabeleça os serviços. A 1ª Vara da Fazenda Pública concedeu liminar exigindo que o município  reestabeleça o funcionamento no prazo de seis meses, sob pena de multa de R$ 5 mil por dia.

Em meio ao caos,  sofrem as mães, como Cirlândia Ferreira, que não   marcou  tratamento com  fonoaudiólogo e  fisioterapeuta para  o filho, com paralisia crônica. A  estudante Ana Clara sofreu para ser atendida na UPA, tendo que carregar por longo tempo a filha de cinco meses nos braços.

FERNANDO GOMES RESPONDE A PROCESSOS NA JUSTIÇA

No quinto mandato como prefeito de Itabuna, o primeiro deles em 1977, Fernando Gomes parece ter a saúde como centro de problemas nas gestões. A área, inclusive, foi responsável por dois dos vários processos judiciais aos quais ele responde atualmente.

Uma das ações, movida pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), refere-se ao mandato  entre os anos de 1997 e 2000. Ele é réu por irregularidades na aplicação de recursos do Piso de Assistência Básica do Sistema Único de Saúde (PAB/SUS), nos exercícios de 1999 e 2000. As ilegalidades foram verificadas em fiscalização feita pelo Ministério da Saúde. O caso acabou sendo alvo de processo no Tribunal de Contas da União (TCU) para apurar responsabilidades por danos à administração pública.

A ação do MP-BA, no valor de R$ 270,3 mil, está em tramitação na 1ª Vara da Fazenda Pública de Itabuna. A última movimentação no processo foi em abril de 2018.

 

Agricultura familiar

O prefeito é réu em outro processo na mesma Vara, por irregularidades  em um convênio com valor de R$ 2,1 milhões.

A verba veio do então Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome para um programa de agricultura familiar. O caso está em andamento.

Questionado sobre os processos, Gomes disse que não falaria sobre o assunto.

A dança das cadeiras na Secretaria de Saúde de Itabuna começou em 2017, primeiro ano da gestão do prefeito Fernando Gomes,  quando Vitor Lavinsky pediu exoneração e escreveu uma carta aberta criticando o prefeito, alegando que na condução da coisa pública,  “a forma sugerida, muitas vezes, fugia ao que mandam os preceitos da legalidade”.

Ele foi substituído pela enfermeira Lísias Miranda, que ainda em 2017 denunciou a diretora da Central de Regulação, Maria José da Gama, de estar cometendo irregularidades que envolviam contratação de funcionários fantasmas, liberação de consultas, exames acima da cota permitida e por conluio com fornecedores – entre eles um instituto de tomografia com sede no Espírito Santo.

IBGE: Brasil ultrapassou a marca de 210 milhões de habitantes

A população do Brasil ultrapassou a marca de 210 milhões de habitantes, de acordo com dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publicados nesta quarta-feira pelo Diário Oficial da União. A estimativa considera o total de habitantes nos estados e municípios em 1º de julho de 2019.

O novo total (de 210.147.125 habitantes) representa uma alta de 0,79% em relação às informações obtidas pelo IBGE no ano passado. Em 2018, a estimativa era de que o país abrigava 208,5 milhões de pessoas.

O crescimento identificado este ano foi menor do que o registrado entre 2017 e 2018 (0,82%). Dos 5.570 municípios do país, 28,6% apresentaram redução populacional no último ano. E aproximadamente metade deles (49,6%) cresceu entre zero e 1%. O restante (4,8%) apresentou alta igual ou superior a 2%.

As maiores reduções ocorreram nos municípios de Mulungu (no Ceará, -16%), Japurá (no Amazonas, -15,6%) e Ferreiros (em Pernambuco, -15,6%).

Na divisão por regiões, a mais populosa é a Sudeste (88,3 milhões de habitantes), seguida pelo Nordeste (57 milhões); Sul (29,7 milhões); Norte (18,4 milhões) e Centro-Oeste (16,2 milhões).

O IBGE divulgou ainda a projeção populacional estimada para cada unidade da federação.

São Paulo, o estado com a população mais numerosa do país, teve uma alta de 0,83% e chegou à projeção de 45,9 milhões de habitantes (no ano passado, havia 45,5 milhões). O território paulista concentra 21,9% do total de habitantes do país.

Segundo estado mais populoso, Minas Gerais atingiu projeção de 21,16 milhões de pessoas (eram 21,04 milhões em 2018). A estimativa cresceu 0,61% entre os mineiros.

Rio de Janeiro, o terceiro colocado, abriga 17,26 milhões, de acordo com a projeção. Há um ano, o número era de 17,15 milhões (houve crescimento de 0,61%). A Bahia, quarta unidade mais populosa, tem projeção de 14,87 milhões — o equivalente a uma alta de 0,41% em relação a 2018, quando o número foi de 14,81 milhões.

A unidade da federação menos populosa é Roraima, com 605,7 mil cidadãos atualmente (o equivalente a 0,3% do total de habitantes do país). Houve, no entanto, um crescimento significativo em relação a 2018, quando o estado tinha 576,5 mil habitantes. Uma das razões para o aumento de 5,1% — o maior entre todos os estados — seria o fluxo migratório, já que Roraima tem recebido muito venezuelanos.

Também na região Norte, junto com Roraima, estão os outros dois estados menos populosos: o Acre (com 881,9 mil pessoas) e o Amapá (845,7 mil pessoas).

Em relação aos municípios, a projeção do IBGE identificou que as 27 capitais dos estados reúnem 23,86% da população brasileira — o equivalente a mais de 50 milhões de pessoas.

A capital mais populosa é São Paulo (12,2 milhões de pessoas), seguida por Rio de Janeiro (6,71 milhões); Brasília (3 milhões); Salvador (2,8 milhões); Fortaleza (2,6 milhões); Belo Horizonte (2,5 milhões); Manaus (2,1 milhões); Curitiba (1,9 milhão); Recife (1,6 milhão); Goiânia (1,5 milhão) Belém (1,4 milhão); Porto Alegre (1,4 milhão); São Luis (1,1 milhão) e Maceió (1,01 milhão).

O restante das capitais tem menos de 1 milhão de habitantes. A menor delas é Palmas, no Tocantins, com 299,1 mil pessoas (2,49% a mais do que em 2018). Capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre é a 12ª mais populosa e teve o menor crescimento este ano entre as 27 (0,32%). A alta mais expressiva ocorreu em Boa Vista, em Roraima (6,35%).

Entre os 17 municípios que ultrapassam a marca de 1 milhão de habitantes, 14 são capitais. Também integram a lista: Guarulhos (na região metropolitana de São Paulo, com 1,37 milhão de pessoas); Campinas (no interior paulista, com 1,2 milhão) e São Gonçalo (na região metropolitana do Rio, com 1,08 milhão).

A lista de municípios mais populosos inclui ainda, acima da marca de 500 mil habitantes, São Bernardo do Campo e Santo André, com 838,9 mil e 718,7 mil habitantes, respectivamente. Os dois municípios integram a região metropolitana de São Paulo, a maior do país, com 21,7 milhões de habitantes.

Na região metropolitana do Rio, a segunda maior, vivem 12,8 milhões de pessoas. Nela, estão localizados dois dos municípios mais populosos do país: Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, com 919,5 mil e 821,1 mil pessoas, respectivamente.

Entre os locais em que há menos habitantes, o IBGE destaca as projeções de três municípios: Serra da Saudade (em Minas Gerais, com 781 pessoas), Araguainha (MT, com 935) e Borá (em São Paulo, com 837).

Prefeitura de Candeias reabre inscrições para concurso com mais de 180 vagas

A prefeitura de Candeias reabriu as inscrições para um processo seletivo com 189 vagas de níveis fundamental, médio, técnico e superior. As oportunidades são destinadas para o Hospital Municipal José Mário dos Santos.

Os interessados podem se inscrever entre os dias 21 e 30 de agosto através do site da organizadora do certame. A taxa varia de acordo com a função desejada, sendo R$ 35 (fundamental), R$ 45 (médio/ técnico) e R$ 60 (superior).

As oportunidades disponibilizadas são para os seguintes cargos: Auxiliar de Serviços Gerais (14); Costureira (1); Maqueiro (3); Porteiro (9); Assistente de Arquivo (1); Assistente Administrativo (3); Assistente de Almoxarife (1); Assistente de Farmácia (5); Assistente de Faturamento (2); Condutor de Veículo de Emergência (4); Instrumentador Cirúrgico (5); Monitor de Informática (1); Recepcionista (9); Técnico em nutrição (1); Técnico de Enfermagem (40); Técnico em Edificações (1); Técnico de Radiologia (7); Assistente Social (3); Enfermeiro (6); Enfermeiro – Intensivista/ Emergencista (10); Enfermeiro Obstetra (5); Farmacêutico (1); Fisioterapeuta (2); Médico Anestesiologista – 24HS (7); Médico Cirurgião Geral – 24HS (7); Médico Cirurgião Geral – 12HS (1); Médico Clínico Emergencista (7); Médico Clínico – Diarista (1); Médico Obstetra (7); Médico Ortopedista – 12HS (7); Médico Pediatra (7); Médico Radiologista (7); Nutricionista (3); Psicólogo (1).

A depender da função, os selecionados terão carga horária que varia entre 12h a 40h semanais e salários que variam entre R$ 998 e R$ 13 mil. Mais informações podem ser consultadas através do edital do certame.

FIQUE POR DENTRO: Confira datas de vencimento do IPVA em agosto

A Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (SEFAZ-BA) alerta os contribuintes para as datas de vencimento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em agosto. Os donos de automóveis de placas com finais 7, 8, 9 e 0 possuem prazos terminando neste mês. O calendário completo está disponível no endereço www.sefaz.ba.gov.br (no canal Inspetoria Eletrônica).

Os proprietários de automóveis com placas de finais 7 e 8 devem pagar até os dias 29 e 30/08, respectivamente, a terceira cota, para quem parcelou o tributo, ou a cota única sem desconto. Por serem os prazos finais para essas placas, caso percam as datas, esses contribuintes já serão considerados inadimplentes com o IPVA 2019. Já os donos de veículos com placas 9 e 0 que dividiram o imposto em três vezes precisam quitar a segunda cota até 27 e 30 de agosto, respectivamente.

Para efetuar o pagamento, o contribuinte deve dirigir-se a uma agência ou caixa eletrônico do Banco do Brasil, do Bradesco ou do Bancoob, com o número do Renavam em mãos. Os débitos referentes à taxa de licenciamento e às multas de trânsito deverão ser pagos até a data de vencimento da terceira parcela. Os débitos anteriores do IPVA ainda não notificados também podem ser divididos em três vezes, juntamente com o IPVA 2019. No entanto, o proprietário que perder o prazo da primeira cota deixa de ter o direito ao parcelamento em três vezes.

Já o seguro obrigatório deverá ser pago integralmente até o vencimento da primeira parcela do imposto, em caso de parcelamento do IPVA. Todas as informações poderão ser consultadas no site da SEFAZ-BA ou por meio do call center da secretaria (0800 071 0071).

PAI E MÃE: 50 coisas que você nunca deve dizer ao seu filho

POR: MSN

50 coisas que você nunca deve dizer ao seu filho

Existem muitos conselhos para pais, assim é difícil para eles saber o que funciona e o que não funciona quando se trata de falar com as crianças. No entanto, há frases que devem ser completamente evitadas, de acordo com especialistas na criação de filhos e psicólogos de crianças.

É do meu jeito ou rua

De acordo com um estudo feito na Universidade de New Hampshire, filhos de pais autoritários, aqueles que exigem obediência dos filhos sem uma explicação de o porquê eles estabeleceram determinadas regras e padrões, têm uma tendência maior a serem desrespeitosos e se colocarem em problemas. Os especialistas dizem que ter regras é bom, mas a comunicação respeitosa e de duas vias com os filhos também é importante.

Você deveria ter vergonha de si mesmo

Não só a vergonha não é um sentimento saudável para pessoas de todas as idades, mas ela também pode fazer com que as crianças com alta autoestima ajam agressivamente, de acordo com pesquisadores da Universidade de Michigan. Garotos narcisistas se sentem mais ameaçados quando estão envergonhados, o que os leva a atacar como forma de defesa.

Você é perfeito

Se seu filho tem baixa autoestima, você pode pensar que é uma boa ideia elogiá-lo quando ele faz algo bem feito. Não é bem assim, diz Brad Bushman, professor norte-americano de comunicação e psicologia. Ao dizer que seu filho é perfeito, você pode deixá-lo ansioso por ter que corresponder a altas expectativas, o que pode levá-lo a evitar novos desafios.

Você é tão especial

Naturalmente, muitos pais acham que seus filhos são especiais. Mas dizer a uma criança que ela é melhor ou mais merecedora de sucesso do que outras crianças pode deixá-la um pouco narcisista, de acordo com uma pesquisa feita na Ohio State University. O narcisismo não é apenas um tipo comum de autoestima elevada, mas também a crença de que os outros não são tão bons como si mesmo.

Você sempre será meu garotinho/minha garotinha

É natural que os pais queiram proteger seus filhos de todo mal. Mas é importante ajudá-los a desenvolver as habilidades e os recursos emocionais necessários para se tornarem adultos independentes. Caso contrário, segundo pesquisadores da Universidade de Granada, eles podem desenvolver a “síndrome de Peter Pan”: o desejo de permanecer na adolescência para sempre, evitando responsabilidades e desafios da vida.

Está tudo bem, eu não estou chateado

Os pais costumam ser aconselhados a não deixar seus filhos verem quando estão chateados. Mas um novo estudo da Universidade de Toronto diz que esconder sentimentos pode impedir um “vínculo entre pais e filhos de alta qualidade” e também fazer com que os pais se sintam piores. Os pesquisadores dizem que reconhecer gentilmente os sentimentos usando termos que uma criança possa entender pode ser a melhor abordagem.

Por que você tirou 9 e não 10?

Não há problema em ter altas aspirações para o sucesso acadêmico de uma criança, desde que essas expectativas sejam realistas. Se elas estiverem de acordo com o que uma criança é capaz, ela provavelmente terá sucesso na escola, mas se os pais esperarem demais, é bem provável que o desempenho acadêmico seja prejudicado. É melhor apoiar as conquistas da criança do que exigir perfeição, diz a Associação Americana de Psicologia.

Pare de comer tanto, você está engordando

Incentivar uma alimentação saudável é ótimo, mas fazer comentários negativos sobre o peso de uma criança, não ajuda. As mulheres cujos pais fazem comentários depreciativos e relacionados ao peso crescem mais insatisfeitas com seus corpos e têm tendência a ter pesos mais elevados quando adultas. Em vez disso, envolva as crianças na preparação de alimentos e em atividades físicas prazerosas, recomenda o psicólogo americano Alexis Conason.

Coma seu espinafre, ele vai te deixar forte

Com certeza, as crianças devem ingerir alimentos saudáveis que as ajudem a crescer e prosperar. Mas dizer às crianças que uma comida é boa para elas pode criar o efeito contrário, fazendo com que elas queiram comer menos, e não mais. Especialistas dizem que os pais devem se concentrar mais no sabor agradável da comida em vez de seus benefícios nutricionais.

Estou tão gordo(a), preciso fazer uma dieta

As crianças ouvem e internalizam o que os pais dizem, e ouvir um pai ou uma mãe falar negativamente sobre o seu peso ou seus hábitos alimentares pode levá-las a acreditar que também precisam restringir a alimentação (no momento em que estão em fase de crescimento) ou que o exercício é uma punição, e não uma parte agradável de uma vida saudável.

Espere só até o seu pai chegar em casa

Esta frase é muito comum, era até o nome de um desenho animado dos anos 80. Mas o psicólogo norte-americano Jeffrey Bernstein diz que adiar as consequências de um comportamento negativo torna as crianças desafiadoras mais propensas a evitar as responsabilidades por suas ações. Ele diz que as consequências imediatas e apropriadas para um comportamento infantil são mais eficazes para o aprendizado das crianças.

Pare com isso, senão eu vou… (e você não faz)

As crianças aprendem rapidamente que, se você diz a eles uma frase do tipo “se…, então eu vou fazer tal coisa”, mas nunca faz, elas podem tranquilamente ignorar você e continuar a se comportar mal. O psicólogo Jeffrey Bernstein aconselha os pais a serem coerentes com a disciplina, se quiserem que ela funcione de verdade.

Você é tão inteligente

Dizer a uma criança repetidas vezes que ela é inteligente pode limitar o sucesso e aprendizado futuros dela. Se as crianças sempre ouvem que elas são inteligentes, elas podem desenvolver uma mentalidade de que as habilidades e aptidões delas são fixas e nunca mudarão. Mas se os pais elogiarem os esforços de uma criança, ela aprenderá que ela tem capacidade de melhorar.

Se você comer todo o seu prato, você vai ganhar sobremesa

Usar a comida como recompensa pode parecer motivador, mas dar a sobremesa em resposta a um bom comportamento (e não dar em resposta a um mau) pode realmente ter um efeito negativo na saúde do seu filho, ensinando-lhe de que às vezes os alimentos são mais desejáveis, minando assim a aprendizagem sobre uma alimentação saudável.

Porque eu disse para fazer assim

A especialista na criação de filhos Amy McCready diz que essa frase simplesmente não funciona e apenas cria uma luta de forças com seu filho. Ela oferece quatro soluções alternativas para lidar com o mau comportamento, que ainda buscam colaboração e respeito de seu filho, e também oferecem o mesmo em troca. Uma delas é usar formulações do tipo “quando…, então…”, por exemplo, “quando você fizer sua lição, você poderá brincar com os seus amigos”.

Essas são as regras, e elas não estão abertas para debate

A autora do livro Parenting, sobre educação de filhos, Dra. Marianne Neifert, diz que as crianças definitivamente precisam de regras, porque as ajudam a prepará-las para o mundo e proporcionam uma sensação de estabilidade e ordem. Mas a autora diz que regras rígidas implementadas sem discussão ou consideração da personalidade ou das necessidades de uma criança podem aumentar o conflito, ao passo que permitir que o seu filho contribua na elaboração delas, na verdade, melhora o cumprimento das regras.

Você é tão preguiçoso

Se uma criança dorme o dia todo, se recusa a fazer as tarefas e nunca quer ir a lugar algum, pode ser tentador chamá-la de preguiçosa. Mas fazer isso é inútil, humilhante, e pode até não ser verdade. A falta de motivação pode ter muitas causas, incluindo estresse, tédio e desorganização. Por isso, é importante procurar a raiz do problema.

Eu não estou discutindo isso com você

Conversas difíceis fazem parte da educação dos filhos, e especialistas australianos em educação infantil dizem que é importante que as crianças se sintam à vontade para fazer perguntas e expor preocupações aos pais. Mesmo que o assunto seja morte, sexo, divórcio, doença ou algum outro tema desafiador, há maneiras positivas e apropriadas para a idade para discutir isso com seus filhos.

Eu já te disse um milhão de vezes para não fazer isso

Muitos pais sentem a frustração de dizer repetidas vezes a seus filhos para fazer (ou não) alguma coisa, e serem ignorados ou desobedecidos. O psicólogo infantil Alan Kazdin diz que isso acontece porque dar instruções simplesmente não funciona bem para mudar o comportamento humano. Então, o que funciona? Recompensar as crianças por um comportamento positivo, em vez de tentar alterar ou controlar o mau comportamento, é mais eficaz.

Vá para o seu quarto até se acalmar

Dizer isso pode impedir o grito ou a birra, mas também ensina a criança que a raiva é ruim e que você só a ama quando ela está quieta e boazinha. É mais recomendado ficar com a criança, reconhecer a raiva dela e garantir que você a está ouvindo e quer ajudá-la a se sentir melhor.

O que há de errado com você?

A coach de pais Erica Reischer diz que esta é uma pergunta humilhante que torna tudo de errado sobre a situação culpa da criança e implica que ela é uma pessoa cheia de falhas e inaceitável, ao invés de um ser humano que comete erros. Esse tipo de frase também não lida com a motivação por trás do mau comportamento, nem evita que ele se repita. Reischer fala que um simples “eu não gosto desse comportamento” funciona melhor.

Me deixe em paz!

Os pais que repetidamente pedem a uma criança que pare de incomodá-los podem fazer com que a criança sinta que não faz sentido tentar conversar com a mãe ou com o pai, diz Paula Spencer, autora de livros sobre educação de filhos. É bom pedir a uma criança que se ocupe em outro lugar por um tempo, ela diz, mas é preciso ser realista em relação às expectativas. Uma criança não pode, por exemplo, pintar tranquilamente por uma hora.

Garotos não choram

Primeiro de tudo, essa frase não é verdade, diz a professora de psicologia do desenvolvimento Christia Spears Brown: todo mundo chora às vezes. Em segundo lugar, o choro pode ser uma resposta saudável a emoções negativas. Evitar que os meninos chorem não faz com que os sentimentos deles desapareçam. Muitas vezes, eles são simplesmente redirecionados para a raiva e a agressão, incluindo brigas, e podem levar à dificuldade de lidar com as emoções mais tarde na vida.

Esse alimento é tão ruim para você

Os pais podem ficar tentados a rotular alimentos como bolo e salgadinhos como “ruins” e outros como frutas e legumes como “bons”. No entanto, a especialista em nutrição Casey Seidenberg diz que fazer isso pode levar as crianças a acreditarem que são ruins por gostar dos chamados alimentos “ruins”. Ela prefere explicar que alguns alimentos dão ao nosso corpo mais energia para ser ativo do que outros.

Limpe seu prato – há crianças morrendo de fome na África

As crianças, como os adultos, têm sensações que as ajudam a saber quando estão com fome e quando estão satisfeitas. Por isso insistir que elas precisam limpar o prato as ensina a ignorar os sinais emitidos pelo corpo delas de fome e saciedade e a comer demais. Se as crianças disserem que estão satisfeitas, especialistas como a Dra. Kristin Fuller dizem que não há problema em deixá-las parar de comer.

Você não quer ficar gordo, quer?

Muitos pais se preocupam com a obesidade infantil, e a mídia alimenta esse medo. Mas a revista americana Parents diz que, se as crianças crescerem acreditando que é terrível ser gordo, elas podem correr o risco de desenvolver um distúrbio alimentar ou passar a vida fazendo dieta e a sentirem-se mal consigo mesmas. Em vez disso, ajude as crianças a aprender sobre alimentação saudável, positividade corporal e atividade física prazerosa.

Sim, eu usava drogas quando era mais jovem

Os pais podem pensar que contar a uma criança sobre o passado deles facilita a compreensão, mas se quiserem evitar que uma criança experimente drogas, pesquisadores dizem que os esforços serão mais bem-sucedidos se os pais não disserem às crianças o que fizeram quando eram mais jovens. Em vez disso, passe uma mensagem antidroga forte, mas positiva.

Bom trabalho!

Esta frase, e suas variantes “bem feito” e “você foi ótimo”, é o que o psicólogo especializado em educação de filhos Jim Taylor chama de “elogio preguiçoso”. Ao dizer isso, você se concentra no resultado, não no que a criança fez para chegar lá. Elogiar os esforços de uma criança ou elogiar as ações que elas adotaram para obter um sucesso é mais eficaz para aumentar a competência e a autoestima.

Você está me deixando louco!

Pode ser verdade, mas isso não significa que os pais devem dizer isso a uma criança, diz Erica Reischer, coach de pais. Esse tipo de afirmação tenta culpá-los para que mudem o comportamento, o que não é uma ótima maneira de construir relações. A frase implica também que as crianças são responsáveis pelos sentimentos dos pais, o que pode gerar ansiedade e baixa autoestima nelas.

Não se atreva a responder para mim

Pode ser difícil não reagir de impulso quando uma criança responde, mas os pais precisam dar o tom para uma conversa mais calma e reafirmar as expectativas para a criança. Reagir com raiva quando uma criança responde não a ensina a se comunicar melhor. Na verdade, a especialista em pais Laura Markham diz que “se reagirmos de maneira desrespeitosa a uma grosseria da criança, perpetuamos o comportamento”.

Pare de chorar agora mesmo!

Todo mundo tem sentimentos, e as crianças não são exceção, então não é razoável esperar que elas não chorem quando estão chateadas ou com medo. Chorar pode ser saudável, e envergonhar uma criança por fazê-lo despreza as emoções dela e não a ajuda a aprender a lidar com os sentimentos de maneira positiva, de acordo com especialistas em educação infantil.

Pare de choramingar

Pedir a uma criança para parar de choramingar raramente funciona. Muito mais eficaz é prepará-las para futuros problemas, informando calmamente às crianças que ao choramingar elas não serão atendidas, diz a educadora de pais Amy McCready. Então, proceda desse jeito quando elas começarem, deixando o ambiente e as ignorando até que a choradeira pare.

Eu tenho que gritar com você para fazer tudo!

Na verdade, um estudo da Universidade de Pittsburgh descobriu que gritar com as crianças (adolescentes em particular) tem o efeito oposto: a severa disciplina verbal não era apenas ineficaz na mudança de comportamento, mas também tornava as crianças menos propensas a ouvir e com tendência a agir, bem como aumentava os sintomas de depressão.

Você está fazendo errado, deixe-me mostrar como se faz

Quando as crianças brincam ou são criativas, os pais devem abster-se de tentar “assumir”, gerenciar ou controlar as ações delas. Ao fazer isso, comunica-se às crianças que o que elas querem na verdade não importa, o que prejudica a autoestima e acaba tornando-as menos cooperativas, dizem pesquisadores da Purdue University.

Você é tão….

Burro. Desajeitado. Egoísta. Distraído. Seja qual for a palavra, quando um pai ou uma mãe rotula o filho, esse rótulo fica grudado na cabeça dele e é internalizado. É mais construtivo concentrar-se no comportamento problemático do que atribuí-lo à essência ou personalidade de uma criança e deixá-la passar a vida pensando que é burra ou outro adjetivo negativo.

Você vai me obedecer!

A obediência pode parecer uma característica maravilhosa de uma criança, mas a total obediência pode corroer a capacidade de uma criança de se defender em situações perigosas e impedir que ela aprenda a assumir responsabilidade por suas ações. Em vez disso, os pais devem tentar construir relacionamentos com seus filhos com base no respeito e na cooperação, diz Laura Markham, especialista na criação de filhos.

Faça o que quiser

Os pais que nunca dizem “não” aos seus filhos enfrentam tantos desafios quanto aqueles que nunca dizem “sim”, de acordo com os educadores de pais Kim DeMarchi e Ann DeWitt. As crianças precisam aprender a ter autodisciplina e isso exige limites e demarcações para que permaneçam seguras e ganhem confiança. Sem isso, elas podem sentir que seus pais não se importam com o bem-estar delas.

Você realmente estragou tudo

Todo mundo comete erros, e as crianças erram muito, assim como os pais lidam com essas situações é muito importante. A especialista em educação de filhos Christine Carter diz que é melhor não expressar raiva ou ameaçar não amar mais uma criança quando elas cometerem um erro, mas sim, demonstrar empatia com ela e gentilmente perguntar o que ela poderia fazer diferente da próxima vez.

Por que você não pode ser mais parecido com seu irmão/sua irmã?

É tentador tentar convencer uma criança de que ela está tendo um desempenho ruim ou um mau-comportamento, ao compará-la aos irmãos. Mas nas comparações há sempre um vencedor e um perdedor. Todas as crianças, como os adultos, são indivíduos e têm suas próprias forças e fraquezas, assim, todas as comparações fazem com que se sintam inferiores, diz Rachel Raybin, especialista em educação infantil.

Quando eu tinha a sua idade…

Quando um pai ou uma mãe se apresenta como um bom exemplo a ser seguido, especialmente para crianças mais velhas ou adolescentes, o filho pode ficar para baixo, e provavelmente apenas vai se desligar, diz o psicoterapeuta Sean Grover. As crianças mais velhas estão no processo de tentar se transformar em indivíduos, e o trabalho dos pais é ajudá-las a fazer exatamente isso.

Você não pode estar com fome /sede/cansado

Se uma criança disser aos pais que sente algo, não se deve negar os sentimentos dela, mas, em vez disso, reconhecê-los. Independentemente de a necessidade específica da criança poder ser satisfeita naquele momento (para um lanche, um copo d’água ou um cochilo), é importante que ela se sinta ouvida e compreendida pelos pais.

Diga obrigada a sua tia (ou a quem quer que seja)

Coerção pública e reforço de boas maneiras na frente de outras pessoas provavelmente não é a melhor maneira de desenvolver a boa educação das crianças, diz o especialista em liderança David Marquet. Em vez disso, prepare-as para situações sociais com antecedência, ajude-as a descobrir o que dizer e, em seguida, informe-as sobre como foi e planeje estratégias de melhora.

Não faça isso!

Se uma criança não está ouvindo quando o pai ou a mãe a repreende, essa energia pode ser redirecionada informando qual comportamento seria preferível, e não o que não se deve fazer. Se as crianças estão correndo, peça para elas andarem, se eles estão jogando coisas, peça para eles se sentarem e segurarem os objetos, e assim por diante.

Isso aconteceu comigo e eu me saí bem

Quando os pais desprezam a experiência ou a tristeza de uma criança dizendo que viveram uma experiência semelhante e que ela não os machucou, isso diminui os sentimentos da criança e faz com que ela se sinta sozinha. Em vez disso, os pais podem perguntar como a criança se sente e contar a elas sobre um episódio que sentiram uma emoção semelhante, como contar a ela sobre uma situação em que ficaram assustados ou tristes.

Eu não sou seu pai, sou seu amigo

Os pais que tentam agir como amigos de seus filhos muitas vezes cometem erros como o excesso de compartilhamento e o estabelecimento inadequado de limites. Quando os pais tratam seus filhos como amigos, revelando suas vulnerabilidades e preocupações, a criança pode ficar ansiosa e sentir que os pais precisam deles para aconselhamento e apoio, em vez do contrário.

Você é uma boa menina/ um bom menino

As crianças que são elogiadas dessa maneira aprendem rapidamente que o bom comportamento significa que elas são boas pessoas e que o mau comportamento significa o oposto. Elas começam a reprimir emoções e impulsos negativos, que podem explodir em momentos inapropriados e causar mais dificuldades. Em vez disso, ensine a crianças que todo mundo tem emoções negativas e ajude-as a aprender a expressá-las com segurança.

Faça o que eu digo, não o que eu faço

As crianças reconhecem hipocrisia quando se deparam com ela e, embora talvez não façam o que está sendo pedido para que não façam, elas apontam sempre que os pais quebram a regra, seja “sem telefone à mesa” ou “não fumar/xingar”, por exemplo. Elas também podem imitar o comportamento quando tiverem idade suficiente para decidir por si mesmas.

Eu sei exatamente como você se sente

É fácil para os pais presumirem que sabem como uma criança está se sentindo. Mas se os pais querem que as crianças se abram e compartilhem o que estão sentindo e por quê estão fazendo birra ou causando conflitos, é uma boa ideia praticar a escuta ativa, perguntando como a criança está se sentindo, em vez de dizer ou assumir.

Eu nunca vou perdoá-los

As crianças aprendem sobre a capacidade de perdoar de seus pais, diz a psicóloga Eileen Kennedy-Moore, portanto, se um adulto guarda rancor ou rompe relacionamentos após um único incidente, as crianças podem imitar esse comportamento. Por outro lado, se um pai ou mãe perdoa muito rapidamente, a criança pode não aprender a se defender. Os pais devem ajudar as crianças a aprenderem quando deixar algo passar e quando ir embora.

Você consegue guardar um segredo?

Ensinar as crianças a guardar segredos pode ser problemático, diz a assistente social Amy Morin, se elas não entenderem a diferença entre segredos e surpresas divertidas (como não contar ao pai qual é o presente de aniversário dele) e privacidade, que crianças e adultos precisam às vezes. As crianças precisam saber que podem sempre contar a adultos confiáveis quando algo não parece certo.

ILHÉUS: Prefeitura e Sindicato dos Servidores Públicos assinam acordo coletivo 2019

Foi assinado na manhã desta sexta-feira (16), o acordo coletivo entre a Prefeitura Municipal e o Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Ilhéus (Sinsepi). Além do prefeito Mário Alexandre, o ato contou com a presença do presidente do sindicato, Joaques Silva (Joca) e representantes sindicais da categoria.

Os avanços foram conquistados durante as reuniões da mesa de negociação pela atual Administração. Com a assinatura do acordo coletivo, pela terceira vez consecutiva, houve revisão geral anual que evitou perda inflacionária do salário do servidor municipal, acumulando ganhos de 13,36%, sendo 3,75% da campanha deste ano.

Durante o encontro, o chefe do Executivo ilheense lembrou aos representantes sindicais, as conquistas obtidas pela categoria, a exemplo dos reajustes no ticket alimentação nos últimos dois anos e sete meses do seu governo, o que resultou um ganho expressivo de 125% a mais sobre o valor creditado se comparado com a antiga gestão.

Na oportunidade, informou que já encaminhou à Câmara, projeto de lei que reconhece os servidores gerais, o ofício de salva-vidas. “O interesse do município é ver o servidor realizado, o que não se via antes, quando por quase cem dias, ficavam parados na porta da Prefeitura em greve de fome, esperando o prefeito atender”, lembrou o prefeito.

E completou. “O que representava no passado medo e perseguição, hoje, estou como um prefeito, reconhecido por dialogar em meu gabinete, como faço com vocês, os verdadeiros representantes dos servidores, por entender que o maior patrimônio de uma cidade é o servidor”.

Foi garantido no acordo o envio de Projeto de Lei para dar gratificações e auxilio proteção solar para os servidores que trabalham na varrição, além de assegurar melhorias no ambiente de trabalho, promovendo mais segurança e qualidade de vida aos servidores municipais.

Por sua vez, o presidente do Sinsepi, Joaques Silva (Joca) afirmou que “o município de Ilhéus tem um prefeito que realmente cumpre com suas obrigações como gestor, reconhece a importância do servidor e o ajuda. Foi um ano de vitória e ano que vem teremos mais vitórias para o servidor público municipal”.

ILHÉUS: NUSAT e atenção básica iniciam planejamento de ações na área do Porto Sul

 

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), através do Núcleo de Saúde do Trabalhador (NUSAT) e Departamento de Atenção Básica (DAB), setores da Prefeitura de Ilhéus, se reuniram na tarde da última terça-feira (13), a fim de realizar um diagnóstico situacional da assistência à saúde existente no território onde será construído o Porto Sul. Serão avaliados, inicialmente, as coberturas da Estratégia de Saúde da Família (ESF) na região de Aritaguá, Sambaituba, Vila Juerana e Ponta da Tulha.

Essas avaliações ocorrerão por meio de levantamento, atualização e cadastramento de novas famílias. A iniciativa conta com a participação dos Agentes Comunitários de Saúde. A sanitarista Quézia Santana explicou a importância da coesão dos diversos setores da Sesau, no sentido de conhecer a realidade atual da área, suas dificuldades e potencialidades. O intuído, segundo ela, elaborar um planejamento conjunto capaz de atender, de forma oportuna e eficaz, as demandas provenientes da construção do Porto.

Empreendimento – O Porto Sul tem investimento total previsto de R$2,7 bilhões e será construído na localidade de Aritaguá, no litoral norte de Ilhéus. Pelo porto será escoado, principalmente, o minério de ferro extraído pela Bahia Mineração no município de Caetité. A previsão é que cerca de 20 milhões de toneladas ao ano de minério de ferro de alta qualidade sejam escoados pelo prazo de até 30 anos. A ferrovia terá capacidade para transporte 60 milhões de toneladas por ano.

Dados – Segundo a Bahia Mineração (BAMIN), uma das empresas responsáveis pelo início da construção do empreendimento no segundo semestre deste ano, o serviço de implantação do Porto Sul vai gerar inicialmente 500 empregos, e no pico de obras, esse número crescerá para até 2.500 postos de trabalho.  Quando entrar em operação efetivamente, daqui há alguns anos, serão entre 600 e 700 postos de trabalho diretos e centenas de outros indiretos.

De acordo com a Prefeitura, as ações de prevenção e proteção da saúde dos trabalhadores contarão com capacitações e oficinas de mobilização e atualização dos profissionais de saúde, que atuam na Rede Municipal de Atenção à Saúde do Trabalhador, a fim de garantir qualificação através da prática das equipes nos seus respectivos territórios de abrangência.

ILHÉUS: Centro de Controle de Zoonoses inicia iscagem de ratos e caramujos

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) é o órgão municipal com atribuição fundamental de prevenir e controlar as zoonoses. Nesta semana, iniciou o trabalho de prevenção com iscagem de ratos e caramujos em Unidades Básicas de Saúde (UBS). De acordo com o responsável técnico do CCZ, Aloísio Leite, através desta ação o órgão pretende combater a população de ratos e caramujos no município e eliminar os riscos de transmissão de doenças, como a meningite eosinofílica, esquistossomose, leptospirose, entre outras.

A equipe de combate é formada por cerca de sete pessoas, sendo um agente de controle de endemias, três vaqueiros e três auxiliares de veterinária. A iscagem de ratos é feita por meio de raticida, tendo como um dos princípios ativo o bromadiolone. Nas residências e locais como feira livre é usado o pó de contato. Para inibir a proliferação de caramujos, por exemplo, o CCZ utiliza a isca metaldeído 5%, segura para humanos e animais, como cães e pássaros.

Aloísio Leite alerta que a área portuária é um dos pontos estratégicos para a proliferação desses roedores e moluscos, oriundos, na maioria das vezes, de países asiáticos e do norte do continente americano. Ele ressalta, contudo, que a inspeção já está sendo realizada. O coordenador destaca ainda que o órgão trabalha desenvolvendo sistemas de vigilância sanitária, vigilância epidemiológica e vigilância ambiental em saúde.

“Orientamos que a população ilheense proteja a caixa d’água com tampa, para dessa forma evitar a contaminação através das fezes e urina do rato. Se a pessoa tocar em um caramujo ou entrar em contato direto com as suas secreções é indicado lavar bem a região com água e sabão. Contudo, é recomendável que a pessoa informe ao Centro de Controle de Zoonoses ou ao setor de atenção básica do município”, explica Aloísio.

Dublê morre em filmagens de “Titãs” e série é pausada

Uma fatalidade aconteceu durante as gravações da segunda temporada do seriado “Titãs”. As filmagens foram interrompidas após o dublê Warren Appleby morrer durante um acidente de carro.

Warren era coordenador de efeitos especiais e, de acordo com o The Hollywood Reporter, o fato se deu em um ensaio da batida do veículo. Tudo acontecia da forma planejada, porém, durante um trecho do percurso, o carro quebrou e a falha vitimou Warren, que atuava, também, como dublê.

Com o acidente, a produção do seriado foi pausada, mas deverá retomar as gravações na semana que vem. “Estamos de coração partido e devastados com a morte do nosso estimado colega, o coordenador de efeitos especiais Warren Appleby, depois de um acidente que ocorreu em uma instalação de efeitos especiais durante a preparação e testes para uma filmagem“, disseram os produtores da Warner Bros. TV e DC Universe durante uma declaração.

Warren era amado por todos que trabalhavam com ele durante uma impressionante carreira de 25 anos em televisão e filmes. Os produtores executivos, bem como todos os membros da família Titãs, Warner Bros. Television Group e DC Universe, desejam expressar nossas mais sinceras condolências. Assim como, nossos sinceros amos e apoio à família e aos amigos de Warren neste momento tão difícil“, concluíram.









web