No final do encontro que reuniu cidades brasileiras e estrangeiras para debater biodiversidade, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre afirma que conseguiu integrar temas importantes ligados ao planejamento urbano de forma mais efetiva e estratégica. Satisfeito com os resultados, Mário apresentou, em Washington, um conjunto de boas práticas que classificam Ilhéus como um município verde. O evento Plataforma Global para Cidades Sustentáveis (GPSC) foi realizado de 8 a 10 de maio, na sede do Banco Mundial, nos Estados Unidos.

No encontro, especialistas de cidades brasileiras e estrangeiras participaram de diferentes grupos para trocar experiências e propostas em variadas perspectivas. “Os fóruns eram marcados por muitos debates. Nas mesas, os desafios, soluções e sugestões para a implementação de uma agenda verde para os próximos dez anos. Durante nossa apresentação, as atenções se voltaram para Ilhéus, e as propostas de manter nosso capital natural preservado ultrapassaram as expectativas”, destacou o prefeito.

Para o chefe do executivo ilheense, o encontrou nos Estados Unidos trouxe ganhos exponenciais para Ilhéus e a Bahia. “O governador Rui Costa assinou um memorando de entendimentos com a Forever Oceans, para instalação de empreendimento de maricultura na Bahia. A empresa norte-americana pretende investir U$ 60 milhões na criação de peixes na costa de Ilhéus, ou seja, serão gerados cem empregos diretos e quatrocentos empregos indiretos”, comemorou.

Mário Alexandre salienta ainda que agendas como a GPS, priorizam a integração da biodiversidade e do capital natural no processo de planejamento urbano local. “Tudo isso incentiva a geração de benefícios econômicos e sociais. Ilhéus é uma cidade competitiva em vários aspectos. Possui ótimo índice de qualidade de vida e bem-estar e isso desperta o interesse de instituições como o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em apoiar projetos como o nosso”.

Apresentação – Para o evento, o município preparou uma apresentação falando sobre a história da antiga Capitania Hereditária, que se tornou vila e conhecida por ambientar os romances de Jorge Amado. No conteúdo, a cidade é conhecida como a capital do cacau e baseia-se, atualmente, na agricultura, turismo e indústrias. A estratégia contém ainda os investimentos que o município recebeu em infraestrutura, além do levantamento de todo o capital natural que endossa o lugar como um município verde.

Investimentos – Na apresentação, os planos de mobilidade urbana implantadas pela atual gestão dão direito de se deslocar pela cidade e acessar os diversos serviços que ela oferece. Destaques para os investimentos na Orla Sul; Hospital Regional Costa do Cacau; primeira ponte estaiada da Bahia; duplicação da BR-415, Rodovia Jorge Amado; Porto Sul e Fiol.

Com o Programa de Metas, o município de Ilhéus foi a terceira cidade do Brasil a ter a Lei do Plano de Metas como uma obrigatoriedade estabelecida em sua Lei Orgânica (art. 73, Emenda de Junho de 2008). O inventário arbóreo catalogou cerca de 5.131 árvores, com 326 espécies identificadas. Além disso, o plantio de mil mudas nativas em áreas urbanas coloca Ilhéus na rota das prioridades ambientais.

No bojo da potencialidade ambiental, a estratégia apresentou ainda o maior parque urbano do país de mata primária – Parque Natural Municipal da Boa Esperança, Parque Municipal marinho Pedra dos Ilhéus, Corredor Ecológico lagoa Encantada – Serra do Condurú; APA da Lagoa Encantada e Rio Almada; Parque Estadual Serra do Condurú; Reserva da Vida Silvestre de Una.

O Programa de Serviços Ambientais estima a construção de uma governança para a sustentabilidade. Mananciais da Bacia do Iguape que abastece hoje 70% do município. Por sua vez, o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).A cidade possui 53% de cobertura vegetal, 48% de cobertura da rede de esgoto com tratamento de 80%.

Outro ponto forte foi a apresentação do Plano Municipal de Recuperação da Mata Atlântica, que contempla o diagnóstico da situação atual da Mata Atlântica e seus ecossistemas associados do município de Ilhéus e indica ações prioritárias para a conservação e recuperação da vegetação nativa e da biodiversidade da Mata Atlântica no município.

Por fim, o apoio à Cooperativa de Catadores de material reciclável, com a inclusão social dos catadores de material reciclável tem de contar com o apoio de todas as esferas de governo para que possa realmente se efetivar a sua atividade. Atuação na promoção da reciclagem e destinação dos resíduos, permitindo o seu retorno à cadeia produtiva.

Com isso, Ilhéus pretende integrar as estratégias de biodiversidade no planejamento urbano e assegurar a operacionalização da preservação do capital natural. O município tem o desafio de quantificar sua biodiversidade, dentro da agenda do plano de Desenvolvimento Urbano Verde, a fim de se tornar uma cidade piloto apoiado pela Plataforma Global para Cidades Sustentáveis (GPSC).